É preciso ser muito homem para dizer sim a Deus


Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Ao olharmos para a Igreja, hoje, deparamos com a beleza do grande número de jovens que se entregam ao serviço do Senhor. Jovens que deixaram tudo: projetos, juventude, sonhos, para sonhar o sonho de Deus, para dedicar a vida à salvação das almas. Vocações que se levantam, a cada dia, em resposta ao apelo do coração de Deus, por intermédio do Seu povo. Uma juventude que testemunha – com a vida – que o segredo da felicidade tem nome: Jesus Cristo.

Observando com cuidado também deparamos com uma dura realidade: são as mulheres que representam a grande maioria desses jovens que respondem ao chamado de Deus. Elas constituem a maioria em grande parte dos serviços da Igreja e dedicam, com muito carinho, toda a sua vida ao serviço do Senhor. É nesse momento que surge a pergunta: onde estão os homens?

Deus é o mesmo e continua a chamar a todos, assim como fez em toda a história da salvação. Assim como fez com Abraão, Moisés, Samuel, Davi, Pedro, Tiago, João, Paulo, Ele continua a chamar homens para o Seu seguimento. Se Ele os chama, por que eles não respondem?

Parece que os rapazes de hoje têm medo de se decidir, de se posicionar e encarar as consequências de suas decisões até o fim. Ficam ponderando e se agarrando a falsas seguranças pessoais, como se estas fossem eternas. Não afirmo isso somente com relação à vocação à vida consagrada, mas digo o mesmo com relação aos relacionamentos, ao matrimônio, ao trabalho, aos compromissos próprios da vida. Encontramos uma geração de pessoas que querem viver sem assumir a responsabilidade própria do ser homem, sem assumir o seu papel na história.

Vivemos em uma sociedade que por vezes se mostra machista, mas que ao mesmo tempo vai retirando – por meio de seus conceitos e estruturas – a firmeza, a coragem e a decisão que são próprias do ser homem. Por causa da busca desenfreada pela igualdade entre os sexos, anula-se aquilo que é próprio do homem e se forma uma sociedade frágil, na qual ninguém quer assumir o papel que lhe compete.

Para seguir uma vocação é preciso ser muito homem! É preciso muita coragem para renunciar a tudo a fim de fazer a vontade de Deus. Como homens que somos paramos de buscar a segurança em nossas próprias forças, em nossa racionalidade, que nos é tão própria, e nos abandonamos confiantes nos braços de Deus, que cuida de todas as coisas. Assumimos que mesmo sendo chamados a cuidar, a zelar e a responder por muitos, somos antes de tudo cuidados por um Pai que nos ama. Dessa forma, tornamo-nos inteiramente do Senhor e, por essa razão, nos tornamos muito mais homens.

Deus precisa de homens para levar a salvação até os confins da terra. Homens que assumam o seu papel na história e se deixem conduzir inteiramente pela ação do Espírito Santo. Homens que podem mudar a história com uma simples palavra: “sim”!

Um dia, eu fui provocado pelo Amor de Deus, que me desafiou e me exigiu uma resposta. Dei um “sim” na escuridão da fé e hoje vejo um horizonte ilimitado de felicidade na vontade de Deus. Não foi fácil romper com as amarras dos desígnios da sociedade e seguir a vontade do Senhor, mas hoje vejo o quanto essa decisão me fez muito mais homem. Hoje, sou muito mais feliz por saber que assumo o meu papel na história, assim como tantos homens que se deixaram seduzir por um Amor maior.

Talvez neste momento Deus o esteja desafiando a dar a sua resposta. Uma resposta que só depende de você. Não importa o que o Senhor esteja suscitando no seu coração: sacerdócio, matrimônio, vida consagrada em comunidade ou qualquer outra forma serviço pelo Reino de Deus. Agora é a hora da resposta e da decisão que mudarão toda a sua vida. Dê a sua resposta, mas lembre-se: é preciso ser muito homem para dizer “sim” a Deus!

*ESTE TEXTO FOI ESCRITO PELO PADRE RENAN FÉLIX, COLABORADOR DESTE APOSTOLADO.



Sobre

Seminarista na Arquidiocese de Diamantina - MG 27 anos.


'É preciso ser muito homem para dizer sim a Deus' possui 5 comentários

  1. 20 de maio de 2016 @ 12:43 Sander

    Aqui na diocese a experiência que temos é o oposto.. Os rapazes participam dos recolhimentos vocacionais e querem discernir. As meninas usam a justificativa de que querem muito ser mães (o que na verdade toda mulher virtuosa deseja) e por isso já sabem a vocação delas. É triste ver as pessoas fugindo, sem nem dar chance para a vontade de Deus..

    Responder

  2. 21 de maio de 2016 @ 13:40 Jose MARTINS

    Não pode haver alegria na perdição e na escuridão! Qualquer distinção prevalecedora sobre TODA a Palavra de Deus, é alerta. É alarmante o abandono da Doutrina do Juízo.

    Responder

  3. 18 de junho de 2016 @ 14:46 Paulo Ricardo

    Que Deus desperte no coração de verdadeiros homens o santo chamado ao sacerdócio!

    Responder

  4. 1 de julho de 2016 @ 21:58 Robson da Silva santos

    Gostaria de me tornar padre.

    Responder

  5. 9 de agosto de 2016 @ 15:59 Rinaldo Almeida

    Maravilhoso texto
    Sou um católico de grande dedicação à Igreja de Jesus Cristo
    Vivo em Cristo e com Cristo. Como disse o Apóstolo Paulo: ” Já na sou que vivo, é Cristo que vive em mim. “

    Responder


Gostaria de compartilhar seus pensamentos?

Seu endereço de email não será publicado.

"Um varão católico não pode esquecer esta ideia-mestra: imitar Jesus Cristo, em todos os ambientes, sem repelir ninguém."

Homem Catolico

Confortare et Esto Vir.