Então você quer discernir vocação


Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Vocação: o chamado de Deus para minha vida. A todos Ele chama a santidade. Mas a cada um com sua história particular. Em um particular estado de vida.

Muitos homens, bons homens, sabem que corresponder a esse chamado é caminho de felicidade. De vida plena. Por conta disso, temem “errar a vocação”. Afinal, por que Ele não nos chama como chamou a São Mateus, não é mesmo?

“Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: Segue-me. O homem levantou-se e o seguiu.”

Tão direto. Olho no olho. Sem frescuras, sem crise. Por que não pode ser assim conosco?

Na verdade, é.

Deus fala, tão diretamente quanto falou São Mateus e com os demais apóstolos. O problema não está em Deus. Somos nós que precisamos aprender a escutar e discernir.

Abaixo, os pontos fundamentais para que você possa conhecer a vontade de Deus para sua vida:

1 – Pergunte. Normalmente não ouvimos a voz de Deus porque não começamos uma conversa com Ele. Não é possível discernir a vocação simplesmente com especulação filosófica. Não basta pensar, é preciso rezar. Comece colocando diariamente em suas orações: “Senhor, aqui estou. Mostra-me a Vossa vontade!”

2- Escute. É preciso buscar ouvir a voz de Deus. Isso se traduz em duas posturas. A primeira é silenciar. Fuja daquilo que faz “barulho” – os vícios que te tomam muito tempo. As discussões do Facebook, as conversas intermináveis no whatssapp, as séries que nunca acabam, o jogo que te toma horas… Silencie. Se ocupa sua mente demasiado e não é essencial é “barulho”. A segunda postura é a de buscar os lugares onde Deus fala. Ele fala ordinariamente pela boca do seu diretor. Busque direção espiritual. A presença de um sacerdote que te acompanhe nesse processo é fundamental. Ouça seus conselhos.

Deus também fala na Palavra Dele. Medite a Palavra. E medite a vida daqueles que encarnaram essa Palavra – os santos. Uma boa biografia de um santo a quem você é devoto pode lançar uma luz sobre sua vocação.

E aviso: se o conselho do diretor é precioso, o mesmo não se pode dizer do conselho de outras pessoas. Não convém anunciar em praça pública que você está discernindo vocação. As opiniões alheias, muitas de gente que te conhece e quer bem, tendem a te deixar mais confuso e muitas vezes enviesado para algum lado, do que em postura de escuta e aberto ao que Deus pede. Que o diálogo seja entre você e Deus, e apenas o diretor esteja a par de tudo.

3 – Leve a vida a sério. Deus te colocou onde você está, hoje. Encare isso com seriedade, pois Deus fala pelas situações concretas. Se Ele te colocou no seu colégio, leve os estudos a sério. Trate seus amigos de turma com seriedade. Se Ele te deu a sua família, honre teu pai e tua mãe, escute os seus avós, ajude os dilemas do seu irmão. Se Ele te colocou na sua paróquia, muita caridade com a senhorinha inconveniente do apostolado de oração.

É na vida concreta que saberemos o que Deus nos pede. Leve os compromissos assumidos com seriedade, e tudo o que te for proposto, considere com sabedoria. Talvez seja no seu emprego que você vá encontrar Deus chamando, como foi com São Mateus. Mas se São Mateus não levasse o trabalho a sério, chegasse atrasado, e não estivesse lá quando Cristo passou?

4 – Escute o coração. Essa parte é complicada. Mas a verdade é que o fruto do Espirito Santo é a paz interior. Isso é diferente do “sentir-se bem”. Você vai precisar se contraria para seguir a própria vocação. Sair da zona de conforto e abraçar a cruz.

Um rapaz que abra mão de um namoro para ingressar no Seminário provavelmente irá sofrer. Mas estará com a consciência serena pelo cumprimento da vontade de Deus – mesmo na dor. O inverso também é verdadeiro: pode ser muito tranquilo e agradável continuar o relacionamento, mas sua consciência há de pesar e seu coração não terá paz.

É preciso de muita sinceridade consigo mesmo e com o diretor espiritual para discernir o que o coração nos revela – as moções interiores. E também é preciso de paciência: para saber o que é constante, e o que é coisa do momento.

Além disso, o coração precisa estar em Deus. É preciso vida de oração, sacramentos e uma decisão firme em fazer a vontade de Deus. Só aí o coração é um bom guia. Se Ele está apegado ao que é mau, você precisa primeiro de conversão antes de buscar seguir a Deus. E nunca é tarde para isso.

Todas essas dicas te ajudarão, mas tenha em mente que vocação é algo extremamente pessoal. É o chamado de Deus para a sua vida. Dois sacerdotes da mesma diocese, que estudaram no mesmo seminário, irmãos gêmeos, mesmo eles terão vocações distintas. Não há vocação repetida. Então o caminho que Deus tem para você é apenas seu. Ouça as experiências do outro, leia a vida dos santos, mas tenha em mente de que elas devem iluminar o seu discernimento, e que não será igual.

Também tenha em mente de que o discernimento nunca tem fim. Mesmo ao encontrar seu estado de vida, precisamos ouvir a voz de Deus todos os dias. Perguntar, escutar, levar o que Ele nos propõe a sério e discernir as moções interiores do coração: isso deve ser o nosso dia a dia. Peçamos a São José a fome e sede de justiça – que é o desejo de conhecer e fazer a vontade de Deus.

É hora de colocar um rumo na vida! É tempo de resposta firme! Deus tem um chamado para você hoje. Ouça Sua voz!


Sobre

Carioca, 24 anos, social media, redator e aspirante a congregado mariano. Em tudo: "Ite ad Ioseph"


'Então você quer discernir vocação' sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Gostaria de compartilhar seus pensamentos?

Seu endereço de email não será publicado.

"Um varão católico não pode esquecer esta ideia-mestra: imitar Jesus Cristo, em todos os ambientes, sem repelir ninguém."

Homem Catolico

Confortare et Esto Vir.