Pornografia: A progressão do vício


Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Por sua natureza viciante, a fim de se sentir normal um indivíduo normalmente necessita de doses cada vez maiores de pornografia. O tipo de conteúdo que ele busca também evolui. Com o tempo, seu apetite o leva a conteúdos cada vez mais pesados buscando obter o mesmo nível de estímulo inicial.

Você já se perguntou como empresários da indústria pornográfica que cobram pelo seu conteúdo se mantém no negócio quando há tanto pornô disponível grátis? Conforme explica Wendy Seltzer – um advogado e amigo da Yale Law School – a resposta é na verdade muito simples: quando consumidores de pornografia se viciam, eles desejam mais e mais. “Buscar pornografia gratuita apenas faz crescer seu apetite”, diz Seltzer. “Depois de irem fundo no conteúdo gratuito, eles irão mudar para o serviço pago”.

A boa notícia para a indústria pornô é que esse padrão é sempre o mesmo, pois a razão para isso está no cérebro.

escala de vícioPesquisadores descobriram que usuários se adaptam ao pornô que assistem – eles se acostumam a isso, e o conteúdo deixa de ser estimulante ou excitante. Por que? Porque o mecanismo de resposta ao prazer de seu cérebro se torna anestesiado.

Quando uma pessoa é estimulada por pornografia, seu cérebro libera uma substância chamada dopamina que o faz sentir prazer. Enquanto a dopamina vai pelo cérebro, ela deixa para trás um rastro criado por uma proteína chamada iFosB (a pronúncia é “delta fos b”) que liga a excitação sexual ao ver pornografia. Basicamente a dopamina está dizendo “isso é bom; vamos lembra de como voltar pra cá”, e iFosB vai ao trabalho construindo um rastro no cérebro que facilita para a pessoa fazer isso novamente. Quando isso acontece com hábitos saudáveis é uma coisa boa, mas quando isso acontece com os danosos, pode ser um problema.

O problema é que quando uma pessoa constantemente vê pornografia, o seu cérebro é constantemente exposto a altos níveis de dopamina. Um cérebro humano saudável não é acostumado a isso, então este responde se livrando de alguns receptores de dopamina. Com menos receptores, o usuário não pode sentir os efeitos da dopamina como antes – e de repente, a pornografia que costumava excitar começa a ficar chata.

Muitos pesquisadores acreditam que uma vez que o cérebro do usuário de pornografia começa o processo de cortar receptores de dopamina, para se conseguir o mesmo estímulo e excitação que tinha antes, muitos necessitam de um crescente surto de dopamina; e para obter isso, eles devem buscar mais pornografia, cada vez mais frequentemente, ou consumir material cada vez mais pesado. Entenda, não é apenas estímulo que bombeia dopamina. O cérebro também a libera quando entra em contato com algo incomum, chocante ou surpreendente. Por isso um número consistente de consumidores de pornografia se veem pesquisando por imagens cada vez mais fortes e pesadas. No final, porque eles criaram tão grande resistência ao que os estimulava antes, para se excitarem muitos usuários precisam combinar estímulo sexual com agressividade. Por isso muito do pornô hardcore está repleto de mulheres sendo fisicamente agredidas. Também é a causa de muitos viciados em pornografia repentinamente se verem buscando coisas que antes os causava repulsa ou que costumavam ver como moralmente erradas.

Junto ao desejo de material mais pesado, muitos viciados se pegam ansiando por pornografia mais e mais frequentemente. Isso porque enquanto eles estão saturando o seu cérebro com domina, eles também estão estabelecendo níveis maiores de iFosB. Quanto mais iFosB, mais o cérebro do usuário o leva a pornografia, mesmo que ele não goste do material que procura.

Enquanto o vício se acentua, os viciados não apenas se tornam mais impulsivos, tornando mais provável que eles se entreguem aos seus desejos, mas também se tornam menos capazes de lidar com uma situação estressante sem recorrer a pornografia como válvula de escape.

E quanto mais eles recorrem a esse hábito, mais profundos se tornam os caminhos no cérebro que os levam de volta, tornando cada vez mais difícil a quebra do círculo.

Fonte: Fight The New Drug


Sobre

Carioca, 24 anos, social media, redator e aspirante a congregado mariano. Em tudo: "Ite ad Ioseph"


'Pornografia: A progressão do vício' possui 7 comentários

  1. 7 de julho de 2016 @ 15:34 Marcos Paulo

    Mesmo esquema do vício em drogas, bebidas e outros vícios. As paixões mundanas que nos cegam!

    Responder

  2. 22 de julho de 2016 @ 16:30 Afonnso Alder

    Triste…

    Responder

  3. 27 de julho de 2016 @ 23:28 André Bernardes

    Graças a Deus ultimamente vem sendo mostrada de forma cada vez mais elaborada a destruição que a pornografia causa aos usuários, sobretudo nos meios católicos. Indico a quem desejar , o curso sobre pornografia e masturbação presente no site do Padre Paulo Ricardo, é um material completíssimo e se não me engano é também gratuito. Nós que somos homens nascemos para amar, e qualquer coisa que nos impeça de trilhar este augusto projeto deve ser jurada de morte! Viva Cristo! Que Ele viva em nós!

    Responder

  4. 17 de outubro de 2016 @ 19:41 oculto

    Eu preciso de ajuda, já tentei muito e continuo tentando parar, mas me sinto um real viciado.
    É tão impulsivo que as vezes acontece um “surto” e mesmo tentando evitar, uma imagem, frase ou qualquer coisa que desperte uma curiosidade ou desejo acaba me levando a pornografia.

    Consigo ficar alguns dias sem mas derrepente acaba tudo acontecendo e eu sempre me arrependo pelo pecado e por passar tantas horas com isso mesmo quando tenho pendências a resolver.

    Não falei com ninguém sobre isso é ainda continuo recluso, parece só servegonhice, mas não é, de fato chega a ser incontrolável.

    Desculpem mas posto anônimo pois de fato é constrangedor.

    Responder

    • 18 de outubro de 2016 @ 14:44 Daniel Alves

      Tudo bem, meu irmão. Deus vê sua luta.

      Recorra a tudo que estiver a seu alcance para lidar com isso. Use bloqueadores. Dá para usar bloqueadores diretamente no seu roteador, de maneira que qualquer acesso seu a pornografia será bloqueado.

      Alguns se valem de senhas, e você pode digitar aleatoriamente, para que não possa voltar atrás.

      Mas recorra também a bons amigos que te livrem da solidão. Pornografia tem muito a ver com dificuldades de lidar com solidão.

      Nada se constrói sem vida espiritual, por isso a base deve ser disciplina na oração. Reze todos os dias. Separe horários para o terço, para um exame de consciência, para a meditação da Palavra. Se possível, vá a missa durante a semana também. Comungue bem, na graça de Deus (por isso, tenha confissão em dia) que Cristo te carrega. E o auxílio de um bom diretor espiritual é muito útil para vencer um vício.

      São algumas dicas práticas, recorra a todas elas e o que mais estiver a seu alcance. Mas persevere, pois é isso que Cristo quer de você.

      Responder

      • 19 de dezembro de 2016 @ 21:50 Oculto

        Daniel, depois de algumas derrotas, hoje estou há 46 dias longe da pornografia. Fui eu mesmo que havia feito o comentário anônimo.
        Devo lhes dizer que me sinto muito mais leve e que tenho dias mais produtivos, ainda sim há muito o que vencer.

        Confesso que como de costume já tentei encontrar conteudo adulto “sem querer” pela internet, mas o simples bloqueio no roteador me manteve afastado.
        Obrigado por tudo

        Responder

        • 10 de janeiro de 2017 @ 15:43 Daniel Alves

          Fico feliz, meu amigo.

          Direção espiritual, meditação da palavra de Deus, vida de oração e trabalho, são esses os santos remédios.

          Que a Virgem Puríssima e o Castíssimo Esposo te conduzam por esse caminho de luta.

          Responder


Gostaria de compartilhar seus pensamentos?

Seu endereço de email não será publicado.

"Um varão católico não pode esquecer esta ideia-mestra: imitar Jesus Cristo, em todos os ambientes, sem repelir ninguém."

Homem Catolico

Confortare et Esto Vir.