São José, O Modelo dos Homens Consagrados à Ssma. Virgem


Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Por Padre Cléber Eduardo dos Santos Dias

Respondendo uma pergunta freqüente de algumas jovens consagradas à Nossa Senhora que procuram entre os jovens, alguns também consagrados à Nossa Senhora, e não encontram, um São José:

Consagrado à Nossa Senhora… como São José.

Qual deve ser o modelo do consagrado à Maria se não o de São José?
– São José, o justo, cumpridor e observante da Lei de Deus.
– São José, obediente a Deus, que ouvindo a voz do Anjo, protege Nossa Senhora e o Menino.

Felizmente há jovens que se consagram à Nossa Senhora pelo belíssimo e santo método proposto por São Luis Grignion de Montfort. Felizmente! Mas, infelizmente, muitíssimos desses jovens ao consagrar-se à Nossa Senhora querem deixar as atitudes viris e passam a viver com modos mulheris. Nada mais impróprio!

Confundem modéstia e reduzem-na ao ato de abotoar até o último botão da camisa, quem sabe para completar um colete ou uma cruz do tamanho de uma cruz de parede, sofrendo assim da doença da episcopalite.

Confundem ser modesto com assumir comportamentos molengas, moles, são quase mulherzinhas, com comportamentos indignos até de uma mulher. Ou pior, reduzem-se à figuras caricatas com a qual nenhuma mulher ou jovem vê a figura paternal, amorosa e protetora de um São José. Figura essa que procuram em todo homem cristão.

Confundem ser um homem de oração em importar modos de orar das heresias pentecostais: fecham olhinhos, fazem uma vozinha submissa como uma mocinha fingindo uma falsa piedade filial, choram, tremem, gritam, “profetizam”, giram, se rebolam diante do altar, em suma, uma pantomina indigna de um cristão. Deixe de ser idiota! Examina, na Tradição bimilenar da Igreja, se alguma vez o Espírito Santo suscitou essa patacoada.

Um conselho aos jovens: Torna tua Consagração à Nossa Senhora efetiva! Verdadeiramente consagra-te como um novo São José: Sê viril! Sem meiguices, sem melindres e manias de menininhas. Porta-te como homem que és! Torna-te um jovem homem de tal modo que possas ser chamado “varão de Deus” e não vareta. Torna-te irrepreensível em espancar teus vícios, tuas manias, teus pecados, teus “medinhos”. Torna-te de tal modo defensor das glórias da Virgem Maria que possas ser chamado novo São José. Ouve, como S. José, a voz do Anjo que te diz: “Toma a mãe e o Filho e os protege”.

Parte dessa terra seca e infecunda de um apostolado de maricas, de mulherzinha molenga, para um apostolado de homens, com homens e para homens: Em defesa da Virgem, em defesa do Menino! Porta-te como homem, como São José, e verás que terás sempre a companhia da Mãe e de seu filho Jesus.


Sobre

Mineiro, filho de São José, que me acolheu em sua 'carpintaria' em Bagé/RS para ser instruído e guiado por seu servo, o Padre Cléber Eduardo.


'São José, O Modelo dos Homens Consagrados à Ssma. Virgem' possui 6 comentários

  1. 12 de janeiro de 2016 @ 17:20 André Matos

    Perfeito!

    Responder

  2. 23 de fevereiro de 2016 @ 10:52 Cesar

    Eis aqui um artigo viril! Todo homem católico deveria ler e refletir sobre ele!!! Principalmente os consagrados à Santíssima Virgem!
    São José, valei-me!

    Responder

  3. 3 de março de 2016 @ 07:47 Bruno Couto

    Matheus, meu conterrâneo de Estado, que excelente e esclarecedor texto! Muito agradecido por compartilhar!

    Responder

    • 18 de março de 2016 @ 03:03 Matheus Rodrigues

      Caríssimo Bruno, agradeça ao nosso diretor espiritual, o Padre Cléber Eduardo Dias.

      Responder

  4. 24 de março de 2016 @ 00:28 Bruno

    Texto forte, mas motivador!
    É como um tapa na cara que faz acordar.
    Parabéns pelo texto!

    Responder

  5. 16 de março de 2017 @ 23:55 João Luís

    Excelente direcionamento!!
    Parabéns pelo trabalho.
    Deus os abençoe.

    Responder


Gostaria de compartilhar seus pensamentos?

Seu endereço de email não será publicado.

"Um varão católico não pode esquecer esta ideia-mestra: imitar Jesus Cristo, em todos os ambientes, sem repelir ninguém."

Homem Catolico

Confortare et Esto Vir.